08 janeiro 2017

A caminho de casa


(foto de Gonçalo Ramos) 

De regresso a casa, após um dia fantástico, em excelente companhia, meus pensamentos divagam por estradas tortuosas.
Não há teorias de psicólogos, psiquiatras, life coaching, ou outra coisa qualquer que nos prepare para os eventos e embates da VIDA, por muito que nos achemos preparados e com forças para os enfrentar.
Cada dia é um desafio duro à nossa resistência física, mas acima de tudo, à nossa resistência psicológica e moral e muitas vezes caímos, esgotados e sem forças.
Vermos, sentirmos e nada podermos fazer, a não ser estarmos presentes e darmos o nosso melhor e muitas vezes nem isso chega…verga-nos de uma forma tão dura, tão desgastante, que se tivéssemos o condão de trocarmos de lugar…trocaríamos sem hesitar e ficaríamos mais tranquilos, mais felizes, porque então, seriamos nós a suportar a dor, o sofrimento, a perda de tudo e não doeria a duplicar… E, imersa nestes pensamentos, perco-me de mim mesma, porque desejaria fazer mais e melhor, mas as forças falham, o sentido da VIDA perde-se e a única coisa que resta é a FÉ e é a essa FÉ que me agarro, que me sustenta, que me mantém de pé, que me dá lucidez para continuar.
A caminho de casa…o pensamento perdeu-se algures e fugiu por aí…

28 dezembro 2016

22 dezembro 2016

13 novembro 2016

Estás de partida…


Estás de partida, cansado, doente, desgastado por uma VIDA nem sempre fácil, uma VIDA de trabalho, de preocupações, de entrega á Família e a tudo o que te rodeia.
Estás de partida e eu gostaria de te dizer tanta coisa, de parar o tempo, de ter um tempo e espaço só nosso em que pudesse abraçar-te e pudesses descansar dessa VIDA desgastada.
Estás de partida e eu não sei como me despedir, como te deixar partir, como preencher esse vazio que vai ficar depois de partires.
Sei quem és, como viveste, reconheço teus defeitos e valorizo tuas qualidades.
Fizeste de mim a Pessoa e Mulher que sou hoje, e não to disse vezes suficientes, mas tu sabes disso. Estás de partida para a tua condição Ser Espiritual, liberto da carne e dos grilhões que te prendem a este Mundo, no entanto a Saudade já se faz sentir e ainda cá estás.
Estás de partida e tudo farei, enquanto cá estiveres, para te sentires bem, feliz e reconfortado.
E, quando partires, sentir-me-ei feliz por regressares á Pátria Espiritual e sei que um dia te verei novamente.
Estás de partida e celebrarei, todos os dias a tua VIDA e a oportunidade de contigo poder caminhar esta, e quem sabe, as próximas VIDAS.

09 novembro 2016

Viver com cancro


(foto retirada da net) 

Viver com cancro pode parecer fatídico, mau ou algo com que temos que padecer o resto das nossas VIDAS. 
Viver com cancro parece sinonimo de não ter cura, falta de Esperança, ou que estamos destinados a sermos eternos sofredores de uma doença que a sociedade ainda olha de lado, quem dela sofre e padece. 
Nada disso, afirmo eu, alto e bom som, que há 3 anos fui submetida a uma mastectomia da mama direita, porque me foi diagnosticado cancro da mama. 
Fiz quimioterapia e radioterapia e 3 anos depois, com a doença estabilizada, mas sem garantias de cura, vivo com o cancro e SORRIO, sou FELIZ e esqueço-me desse “monstro”, que um dia me bateu á porta. 
Viver com cancro não é sofrimento, é celebração da VIDA, é ABRAÇOS, é AMIZADE, é CARINHO, é ACEITAÇÃO, é HUMILDADE e CAMINHAR gratos pela oportunidade de nos superarmos e continuarmos a viver e apreciar as coisas simples e belas da VIDA.
Blog Widget by LinkWithin