10 setembro 2014

Saudades


(foto de Pedro Teixeira)

Saudades... Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.  
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros, quando escuto uma voz, quando me lembro do passado, eu sinto saudades... 
Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei... Sinto saudades da minha infância, do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro, do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...  
Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro... Sinto saudades do futuro, que se idealizado, provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser... 
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei! De quem disse que viria e nem apareceu; de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito, de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer. 
Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito! Daqueles que não tiveram como me dizer adeus; de gente que passou na calçada contrária da minha vida e que só enxerguei de vislumbre! 
Sinto saudades de coisas que tive e de outras que não tive mas quis muito ter! Sinto saudades de coisas que nem sei se existiram. 
Sinto saudades de coisas sérias, de coisas hilariantes, de casos, de experiências... 
Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer! 
Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar! 
Sinto saudades dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar, 
Sinto saudades das coisas que vivi e das que deixei passar, sem curtir na totalidade. 
Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que... não sei onde... para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...

 (texto retirado da net/desconheço o autor/a)

Identifico-me, plenamente, com as palavras e sentimentos deste texto, daí o publicar, e, talvez, não conseguisse expressar melhor o que sinto neste momento, mas é tal e qual o que o texto e o/a autor/a escrevem.
Nova fase, novo virar de página, após meses lutando contra o cancro da mama?
Provavelmente, deixará este sentimento, enquanto se escrevem novas páginas, se revê ou projecta novos rumos, novos objectivos e nesse limbo, nesse cruzamento da VIDA, se fazem balanços e se sentem saudades, vazios, nadas, mas, no final…escolhe-se o caminho e nada nos fará desistir ou afastar do caminho que escolhemos, dos Amigos que permanecem, das escolhas que fizemos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...