30 dezembro 2004

Seja a diferença



(Vilma Galvão)

Nesta vida, estamos nós a buscar os sonhos,
todos na mesma direcção para chegar a um objectivo...
Muitas pessoas desistem, e partem para outros caminhos,
mesmo que ao deixarem de sonhar,
sintam um vazio grande a incomodar,
mudam de sonhos, por acharem que eles são impossíveis,
sem saber, que o vazio que fica dói ainda mais
do que a própria decepção de não conquista-los...
Temos no coração algo que sempre nos incomoda,
que nos faz aceitar ou rejeitar as coisas,
que nos obriga a fugir de certas situações,
é como se dentro de cada um de nós,
estivesse outro alguém a nos cobrar sempre,
é a nossa consciência, que muitas vezes ignoramos,
não paramos para ouvi-la e com isso,
cometemos as nossas maiores falhas.
Somos todos iguais nesse ponto,
temos os maiores defeitos e lutamos para esconde-los
ao invés de corrigi-los, por estarmos somente enxergando
as nossas qualidades e nos achando os mais perfeitos,
mas sabemos, lá no fundo que não somos
nada daquilo que passamos aos outros...
Infelizmente, a vida nos faz confrontar com nós mesmos todos os dias,
e se estamos em desarmonia, ficamos ainda mais intrigados.
Conselhos não valem de nada,
se não pararmos para pensar em nós mesmos,
e nos auto-avaliar todos os dias.
Ficaria mais fácil se a cada dia
pudéssemos tirar algo de ruim de dentro de nós,
e substituir por qualidades...
Que bom seria se ao invés de criticarmos,
pudéssemos ajudar aquele que está em conflito com ele mesmo.
Se ao invés de pedirmos a Deus as coisas a nós mesmos,
pedíssemos em oração, para que Ele socorresse o nosso inimigo
e lhe colocasse em caminho melhor.
Se ao invés de esperar presentes,
lembrássemos de presentear aqueles que vivem na miséria...
Que bom seria se pudéssemos ser menos egoístas
e conseguíssemos nos doar mais neste mundo,
fazendo com que tivéssemos no futuro
um lugar melhor para se viver...
Somos grãos de areia no deserto,
mas unidos em um só objectivo
poderemos nos tornar melhores e mais fortes,
sem que para isso, desistamos dos nossos sonhos,
pois todas as pessoas precisam de sonhos para viver,
sem eles a vida é vazia,
e no caso de não conseguir conquista-lo
sejamos firmes em buscar mais forças para continuar atrás deles...
Sejamos a diferença nesta vida,
sejamos todos sonhadores
sejamos todos alegres
só assim teremos os nossos seguidores,
só assim estaremos dando o exemplo de vida,
mostrando a nossa própria vida em harmonia!
Seja você também a diferença,
mas não deixe de sonhar nunca,
mostre para as outras pessoas que você é especial,
e verá no futuro, muitos iguais a você
fazendo um volume de exemplos para o mundo.
Seja a diferença nesta vida!



Estes são os meus sinceros votos e desejos para 2005 para todos vós.
Se é fácil? Nem pensar...
Mas é urgente que o façamos, que sejamos nós mesmos e cada um de nós pode e deve fazer a diferença, onde quer que esteja.
Cada um de nós é a diferença, porque é um ser humano único e especial.
Um grande xi coração e um grande sorriso para todos.

angelis

28 dezembro 2004

De volta...

Olá a todos...
Finalmente de volta, após um breve período ausente...
Prometo estar por aqui mais assiduamente, não me ausentar por tanto tempo.
O Natal foi bom? Muitas prendinhas? Abusaram muito dos doces? Aí as gorduras...o peso a aumentar...é preciso fazer dieta, na entrada do novo ano que se aproxima.
Claro que a boa vontade, a solidariedade, o sorriso simpático já desapareceram...afinal o Natal já passou e já podemos voltar a ser carrancudos e mal-humorados novamente...Já podemos esquecer a fome, os carenciados, as crianças e os velhos abandonados...afinal o Natal já passou.
O meu Natal como foi? Passado em família...no calor e aconchego do lar.
Se voltei a ser carrancuda? Nem pensar...Mal humorada? Um pouco...pois ao voltar a confrontar-me com os mesmos gestos hipócritas que rodeiam a sociedade e a humanidade nesta época, quem pode manter a sanidade mental?
Bom, mas nem tudo foi assim tão mau...este Natal tive uma prenda muito especial e única...finalmente vi meu sonho concretizado...Qual?
Vejam esta foto...


Pois é...foi publicado o meu 1º livro de poemas...sonho antigo...sonho que eu vi distante, mas que graças a uma pessoa muito especial, que acreditou em mim e me deu forças e coragem para perseguir e realizar meu sonho...ele aqui está..."Palavras à solta", é um pequeno livro de poemas...mas que para mim é a realização de uma vida.
Afinal ainda existe o Pai Natal...e ele veio pela mão da Editora Amores Perfeitos que também acreditou em mim e com muito carinho editou e publicou meu livro.
Estou feliz e realizada...
Este Natal foi especial e único...e ficará para sempre gravado em minha memória e em meu coração...
E partilho convosco esta minha alegria...este sonho...para que não desistam dos vossos sonhos também...que acreditem, lutem, pode não ser quando queremos, pode demorar algum tempo, podem não se concretizar todos os sonhos...mas acreditem...
Pois como dizia António Gedeão: "...o sonho comanda a vida...e enquanto o homem sonha, o mundo pula e avança, como bola colorida entre as mãos de uma criança".
Um grande xi coração para todos...
Ousem sonhar e ser felizes...


angelis

13 dezembro 2004

UM DIA DE CADA VEZ NATALIDADE




Lei nº 025 de 25 de Dezembro de todo o ano – Belém, D. C.

Dispõe sobre normas a serem vividas por aqueles que um dia, guiados por uma estrela, chegaram a um estábulo deixando-se cativar pelo recém-nascido que ali estava.

A partir da presente data, entra em vigor a seguinte Lei:

Art. 1º - Todos os homens devem respeitar-se mutuamente.

Parágrafo Único – É dever de todos promover a PAZ e uma vida mais humana.

Art. 2º - O verdadeiro amor é gratuito, não busca o prazer pessoal e sim o bem e felicidade do outro.

Art. 3º - O Natal não é comércio e troca de presentes, mas um dia em que o perdão e a solidariedade devem fazer-se mais presentes na vida de cada um.

Art. 4º - Natal é tempo de acreditar nas pequenas coisas e de nascer de novo.

Art. 5º - A partir da presente data, fica estipulado que:

a.O nosso sorriso não tem endereço certo

b.Nossas mãos devem carregar os mais fracos e conduzir mãos que tacteiam no escuro

c.Nossos pés, caminhar em direcção do outro para acolhe-lo

d.Nossos olhos, enxergar a criança faminta, o amigo angustiado, o velhinho desamparado.

Art. 6º - O Natal é Cristo fazendo nascer em cada homem um coração novo com sentimento de esperança.

Parágrafo Único – Todo aquele que aceitar o Salvador deve libertar-se do homem velho, rancoroso, que existe em si próprio.

Art. 7º - O Natal marca o início de uma era onde a Fé, a Esperança e o Amor são critérios básicos para se construir um mundo melhor.

Art. 8º - Fica decretado que o Natal será como a alegria imensa de vidas que renascem e se renovam.

Art. 9º - O tempo de Natal é o seguinte: 24 de Dezembro deste ano até 24 de Dezembro do próximo ano.

Art. 10º - Esta lei entrará em vigor a partir do momento em que as pessoas tomarem conhecimento da mesma.

Art. 11º - Faça cumprir e revoguem-se todas as disposições em contrário.

Parágrafo Único – Feliz Natal! Hoje e sempre!

Quem sabe se colocarmos esta lei em prática, teremos nos próximos Natais um mundo bem melhor.

Pense nisto!!!

Feliz Natal!

angelis

06 dezembro 2004

Volto já...

Meus amigos…vou ausentar-me por um tempo, espero estar de volta em breve…
Lá para as vésperas do Natal…senão antes voltarei a dar noticias…
Porque me ausento?
Bom…isso é segredo…mas venho já…o tempo passa depressa e quando derem conta…cá estarei de volta com novos artigos…
Até lá…portem-se bem…namorem muito…amem ainda mais…
Divirtam-se…riam…surpreendam o vosso amor…vão às compras…
Não se esqueçam de escrever ao Pai Natal…
E acima de tudo…OUSEM SER FELIZES…
Muita PAZ…ALEGRIA…ESPERANÇA para todos vós…


Mas antes de ir…deixo-vos com dois poemas do meu poeta favorito, e um dos maiores poetas portugueses…ARY DOS SANTOS
Sintam a sua poesia…a sua alma…deixem-se envolver pelas palavras que transportam a emoção…a grandeza do poeta…
E…até já…

angelis




No teu poema

No teu poema
existe um verso em branco e sem medida,
um corpo que respira, um céu aberto,
janela debruçada para a vida.
No teu poema existe a dor calada lá no fundo,
o passo da coragem em casa escura
e, aberta, uma varanda para o mundo.
Existe a noite,
o riso e a voz refeita à luz do dia,
a festa da Senhora da Agonia
e o cansaço
do corpo que adormece em cama fria.
Existe um rio,
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe o grito e o eco da metralha,
a dor que sei de cor mas não recito
e os sonhos inquietos de quem falha.
No teu poema
existe um cantochão alentejano,
a rua e o pregão de uma varina
e um barco assoprado a todo o pano.
Existe um rio
O canto em vozes juntas, vezes certas
Canção de uma só letra e um só destino a embarcar
No cais da nova nau das descobertas
Existe um rio
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe a esperança acesa atrás do muro,
existe tudo o mais que ainda me escapa
e um verso em branco à espera de futuro.

Ary dos Santos


Estrela da Tarde (o meu favorito)

Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia
Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca, tardando-lhe o beijo, mordia
Quando à boca da noite surgiste na tarde tal rosa tardia
Quando nós nos olhámos tardámos no beijo que a boca pedia
E na tarde ficámos unidos ardendo na luz que morria
Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia
Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia
Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria ou se és a tristeza
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Foi a noite mais bela de todas as noites que me adormeceram
Dos nocturnos silêncios que à noite de aromas e beijos se encheram
Foi a noite em que os nossos dois corpos cansados não adormeceram
E da estrada mais linda da noite uma festa de fogo fizeram
Foram noites e noites que numa só noite nos aconteceram
Era o dia da noite de todas as noites que nos precederam
Era a noite mais clara daqueles que à noite amando se deram
E entre os braços da noite de tanto se amarem, vivendo morreram
Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso, se é pranto
É por ti que adormeço e acordo e acordado recordo no canto
Essa tarde em que tarde surgiste dum triste e profundo recanto
Essa noite em que cedo nasceste despida de mágoa e de espanto
Meu amor, nunca é tarde nem cedo para quem se quer tanto!


Ary dos Santos

02 dezembro 2004

Sexta feira...

Chega sexta...já falta pouco para mais um fim de semana...
Amanhã...desliguem os computadores...desliguem-se dos blogs...da internet...
Amanhã...façam um saco de viagem...esqueçam o consumismo desta época...
Amanhã partam à aventura...há tanto para conhecer neste pais...
Visitem "velhos" amigos...familiares...lugares da infância...
E se não quiserem viajar...vão ao cinema...levem os vossos filhos ao circo...
Revivam a magia do circo...os risos e brincadeiras dos palhaços...soltem a criança que vive em vós...
Vão dar um passeio...a pé...de bicicleta...pelo parque da cidade...à beira mar...
VIVAM...respirem a Natureza...façam algo diferente...divirtam-se...
OUSEM...RIR...BRINCAR...SER CRIANÇA...
Bom fim de semana para todos com muita Alegria...Amor...Tranquilidade...

angelis
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...