24 maio 2007

Mamografia



Porque nunca é demais informar, e porque, prevenir está nas nossas mãos...eu faço o despiste do cancro da mama, anualmente, e você?

Mamografia: Tudo o que deve saber sobre a mamografia

A mamografia constitui a melhor ferramenta para a detecção precoce do cancro da mama.

A mamografia é o melhor exame que se emprega para o diagnóstico precoce do cancro da mama, trata-se, mais exactamente, de um exame radiográfico capaz de detectar qualquer tipo de alteração na estrutura mamária, tanto benigna como maligna.
Esta prática consta de quatro radiografias: efectua-se uma de cada mama, de frente e de perfil, com prolongamento axilar.


Para que serve?
De acordo com diversos estudos de investigação, a mamografia permite detectar o cancro da mama de forma precoce.
Naturalmente, efectuar o exame não previne a doença, mas graças ao diagnóstico precoce a mortalidade por cancro da mama diminuiu notavelmente.

Quem deve fazer uma mamografia?
Todas as mulheres a partir dos 40 anos devem fazer uma mamografia uma vez por ano. Se existirem antecedentes familiares directos de cancro da mama (mãe ou irmãs), devem começar a efectuá-la a partir dos 35 anos, tenham filhos ou não.
Isto não quer dizer que o exame não possa solicitar-se antes dessa idade ou com mais frequência se o ginecologista tiver algum tipo de dúvidas.
Mesmo assim, todas as mulheres - independentemente da sua idade - devem realizar o auto-exame da mama todos os meses, e anualmente o exame de palpação na consulta ginecológica de rotina. Aí, se o médico reconhecer alguma indicação suspeita, solicitará uma mamografia para confirmar do que se trata.

A ecografia da mama substitui a mamografia?
A ecografia mamária é um estudo complementar que se solicita quando a mamografia apresenta algum sinal de patologia - benigno ou maligno -, mas não a substitui. Muitas mulheres confundem ambos os exames e acreditam que é indiferente fazer um ou o outro.
No entanto, a mamografia permite descobrir algumas lesões não detectáveis mediante a avaliação ecográfica. Quando o resultado oferece dúvidas, pode solicitar-se também uma ampliação, que consiste numa nova mamografia, mas dirigida para a zona que origina as dúvidas.

Dói?
A mamografia pode causar algum desconforto, porque para obter as provas radiográficas é necessário comprimir os peitos e levantá-los; mas de nenhum modo é dolorosa. O grau de desconforto depende basicamente de cada mulher e não - como se costuma pensar - do tamanho do peito.
E também costuma incomodar um pouco mais quando se realiza nos dias anteriores à menstruação, dado que - normalmente - o peito se encontra congestionado. Por isso, recomenda-se sempre efectuar o estudo durante a menstruação ou alguns dias depois.

As mulheres que colocaram próteses mamárias podem fazer uma mamografia?
Sim. As próteses mamárias não constituem um impedimento nem uma contra-indicação para a realização da mamografia. Além disso, existem técnicas especiais para estes casos, de modo que as próteses não afectam os resultados do exame.

Quanto tempo dura o exame?
Trata-se de uma prática muito rápida: dura entre 5 e 10 minutos. O resultado costuma estar pronto 48 horas depois (segundo a modalidade da instituição), tempo que demora a execução do relatório.

As mulheres grávidas podem fazer uma mamografia? E as que estão a amamentar?
Antes de realizar o estudo deve ter a certeza de que não está grávida; caso contrário, convém esperar pela menstruação.
A mamografia nunca deve efectuar-se durante a gestação. Com respeito às mulheres que se encontram a amamentar, salvo excepções, o ideal é esperar seis meses depois de ter terminado a amamentação.

Algumas recomendações
É importante que no momento de efectuar a mamografia a mulher leve consigo o exame anterior. Assim, o técnico que realiza o exame terá elementos para comparar como estava o peito há um ano atrás e como se encontra actualmente.
Do mesmo modo, quando se dirigir para o consultório ginecológico com o resultado do exame, deve levar também o exame anterior. Lamentavelmente, em cerca de dez por cento das mamografias não se consegue detectar lesões apesar da sua existência.
Por isso, além do auto-exame mamário habitual, a visita ginecológica de rotina torna-se imprescindível.

(fonte: mulher.sapo)

8 comentários:

  1. Eu também faço o despiste do cancro da mama todos os anos e concordo contigo - mais vale prevenir.
    Beijinhos e um bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  2. Alerta importante para prevenir o futuro.
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  3. Prevenir (sempre) para não remediar.

    ResponderEliminar
  4. Oi, eu sou do Brasil, moro no RJ. E adoro seu blog, as vezes entro mas nunk comento. Mas quero dizer q vc tem uma admiradora de seu trabalho e q me inspirou a criar um blog tb.

    Um ótimo dia e tudo de bom.

    Thays,20-RJ-BR

    ResponderEliminar
  5. Julgo que existem mulheres que se "desmazelam" com este tipo de situações,é pena porque pode se evitar consequências bastante graves como o cancêr da mama ou do útero.
    Bom fim de semana
    Bjs Zita

    ResponderEliminar
  6. Estive ontem na Maia...
    Cheirou-me ao velho Douro.
    Olhei, na esperança de conhecer a água que correu até à foz.
    Nada, nadinha.
    Estou por aí,
    a Norte (bj)

    ResponderEliminar
  7. Você tem toda a Razão!
    Deve-se previnir!

    Obs: Infelizmente eu perdi minha mãe, minha avó, e duas tias com cancer de mama e por falta de prevenção da parte delas.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Não se utiliza o termo frente mas sim face, e não se realiza o perfil mas sim a obliqua.

    Espero que não leve a mal.

    ResponderEliminar

Blog Widget by LinkWithin