06 março 2008

Dias difíceis



Aprenda a gerir as suas emoções em casa e no trabalho.

Se fosse feito um inquérito à escala mundial com a pergunta «qual é o dia mais difícil da semana?», a resposta mais votada seria «segunda-feira». É o dia que marca o regresso ao trabalho, ao trânsito urbano e às mil e uma coisas que temos para fazer, sempre em metade do tempo.
Pior do que uma segunda-feira, só mesmo a primeira segunda-feira depois das férias. Mas, essa, há muito que já lá vai. Contudo, não desespere. Vários especialistas na área da Psicologia enunciam estratégias para reorganizar a sua agenda e permitir que, daqui em diante, o seu dia-a-dia seja (quase) uma réplica das suas férias. Sem stress.
Chega ao trabalho e, como sempre, liga o computador. Antes de ver as dezenas de e-mails que terão chegado na sua ausência, reveja as suas fotografias das férias deste Verão, escolha a melhor foto e coloque-a como fundo de ecrã, para poder evadir-se de vez em quando, enquanto olha para ela.
De volta à realidade, encontra trabalho acumulado, a adrenalina habitual e uma ou outra reacção adversa de um colega, desesperado com o muito que ainda tem para fazer.
Respire fundo e não se deixe dominar pela pressão. Pense nos seus objectivos de trabalho e organize-os por prioridades, definindo prazos intermédios que a permitam controlar a evolução dos acontecimentos.
A tensão entre colegas de trabalho, uma das causas mais comuns de stress laboral, resulta muitas vezes de falhas de comunicação.
Fomente o espírito de equipa e o diálogo e, caso se sinta pressionada, aborde o assunto com a pessoa em causa. Não esqueça outra regra de ouro: fique à margem dos mexericos.

Tempos livres
Tem dado à sua vida pós-laboral o espaço que merece? A felicidade depende, em grande parte, do equilíbrio entre três elementos da vida (pessoal, profissional e afectiva) e nenhum deve ficar esquecido.
Concentrar toda a importância num deles apenas contribuirá para aumentar a insatisfação e níveis de stress. Por isso, aproveite o tempo que lhe resta, a cada dia, para contactar com amigos (uma chamada de telefone já é um bom começo), acompanhar as proezas dos seus filhos ou reunir- se com as pessoas de quem mais gosta.
Substitua a televisão por uma boa música ou livro e não adie mais a ida ao spa que tanto anseia. O seu nome também deve constar na lista de prioridades e está na sua mão colocá-lo em destaque.
Para tal, dispa o fato de super-mulher e crie uma boa rede de apoio, com a ajuda da sua família e parceiro, que lhe permita partilhar as duras missões diárias. E enquanto as próximas férias não chegam, vá treinando aos fins de semana, aproveitando-os ao máximo na companhia de quem mais gosta.

A dois
Uma última questão: Das 24 horas que compõem o dia quantas passa a namorar? Visto o tempo que está a dormir ao lado do seu parceiro não poder ser contabilizado, é possível que os momentos juntos não excedam um par de horas.
Se se identifica com este cenário, precisa de tomar medidas.
Segundo Pilar Varela, psicóloga e autora do livro Amor Puro y Duro, há estratégias simples que pode pôr em prática: expressar afecto diariamente (com um beijo de bons dias, carícias ou palavras), partilhar experiências, aspirações e tomar decisões em conjunto, numa conversa ao fim do dia e, semanalmente, marcar um encontro para sair, divertir-se e voltar apaixonar-se pelo seu companheiro.
Evite pôr a intimidade em segundo plano e quebre a rotina com pequenos gestos que garantam que no final da semana terá um episódio para recordar, para além dos imprevistos do trânsito.

Fora de horas
Aprenda a deixar o trabalho... no trabalho!
1. Prepare a agenda para o dia seguinte, definindo prioridades.
2. Organize a secretária antes de sair, mesmo que não tenha terminado todas as tarefas.
3. Não leve trabalho para casa. Por um lado, terá tendência para fazê-lo, por outro, sentir-se-á culpada se não tiver tempo.
4. Faça uma pausa entre o emprego e casa. Vá ao café com amigos, dê um passeio a pé, veja as montras ou tome um banho relaxante ao chegar a casa.
5. Mude de roupa ao fim do dia. Um estilo informal e confortável vai ajudá-la a desligar.
6. Se lhe ocorrer uma ideia ou questão relacionada com o trabalho tome nota rapidamente e não pense mais nisso. No dia seguinte tratará do assunto.

Texto: Manuela Vasconcelos
A responsabilidade editorial desta informação é da revista saber viver

(fonte mulher.sapo.pt)

5 comentários:

  1. Confesso que não gosto muito de Domingo à tarde. Nos meus tempos livres tento aproveitar com algo que me satisfaça, dê prazer e me deixe bem comigo mesmo...e pode ser "não fazer rigorosamente nada".
    A mensagem inserida neste post, é útil, actual, muito falada e analisada em diversas formações que proliferam o mercado. No entanto, questiono sempre:
    - como é possivel não nos preocuparmos com o dia de trabalho que se aproxima, com o stress, com os nossos tempos livres, com a rotina da vida a dois (ou não) e não levar determinados problemas e trabalho para casa, se....cada vez os trabalhadores são mais explorados, mal pagos e a sua qualidade de vida deixa muito a desejar?
    - Como é possivel "viver em paz e harmonia" quando este País está a saque e os srs do dinheiro pagam aos seus trabalhadores a €2,50 à hora?
    - Como é possivel viver quando verificamos que o nosso dinheiro cada vez é mais insuficiente para os bens mínimamente necessários?
    - Como é possivel não existir revolta, quando verificamos que empresas recebem subsídios para formação (?), inovação(?) e o mesmo é usado na aquisição de carros topo de gama :(:(

    A teoria é uma coisa, e a prática nem sempre é a melhor, ficando ainda hoje sem saber se primeiro apareceu o ovo....ou foi a galinha?

    Bom...fiquemos por aqui. Lá está....a "disposição de segunda feira".

    Beijinhos e boa semana.

    Tudo de bom ;)

    ResponderEliminar
  2. Tens toda a razão no que expões, e realmente a realidade é uma coisa, as intenções são outras e nada tem a ver com a "disposição de segunda feira" mas sim um desabafo de alguém que está atento à realidade deste país e que faz a sua parte, o melhor que pode e sabe. São legitimas as tuas observações e sempre bem vindas.
    Beijinhos e boa semana :)

    ResponderEliminar
  3. Estas teorias realmente são interessantes, mas a realidade é muito diferente - quando se trabalha num sítio agradável, o Domingo á tarde é um dia normal, tal como a Segunda, Terça ou outro dia qualquer - mas quando se trabalha num sítio em que somos recebidos carrancudamente todos os dias, em que tentamos trabalhar e temos sempre alguém a olhar o que fazemos a toda a hora, garanto-te minha amiga que só apetece desaparecer...
    Infelizmente a minha situação neste momento é a atrás descrita e garanto que ao Domingo á tarde começa a ficar num stress terrível.
    Bom fim-de-semana e Boa Páscoa.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. _♥♥_♥♥
    _♥♥___♥♥
    _♥♥___♥♥_________♥♥♥♥
    _♥♥___♥♥_______♥♥___♥♥♥♥
    _♥♥__♥♥_______♥___♥♥___♥♥
    __♥♥__♥______♥__♥♥__♥♥♥__♥♥
    ___♥♥__♥____♥__♥♥_____♥♥__♥_____
    ____♥♥_♥♥__♥♥_♥♥________♥♥
    ____♥♥___♥♥__♥♥
    ___♥___________♥
    __♥_____________♥
    _♥____♥_____♥____♥
    _♥____/___@__\\___♥
    _♥____\\__/♥\\__/___♥
    ___♥_____W_____♥
    _____♥♥_____♥♥
    _______♥♥♥♥♥
    Uma Páscoa Muito Feliz

    ResponderEliminar
  5. Uma Feliz Páscoa amiga!

    E hoje, 23 de Março, o teu blog está de aniversário. Espreita o meu para leres a dedicatória.

    Parabéns pelo 4º aninho.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Blog Widget by LinkWithin