29 outubro 2006

Destruição

Há sempre uma vez
Em que pensamos
Há sempre uma vez
Em que choramos
Ás vezes rimos
Rimos loucamente
Da vida louca
Que levamos
O mundo é um caos
Nós somos
Irracionais
Porque destruímos
A racionalidade
O homem o que é?
O que somos todos?
Homens e mulheres
Que fizeram a terra
Homens e mulheres
Que destroem a terra
Olhamos em redor
Animais feridos
Lançam o seu grito
Crianças esfomeadas
Lançam o seu grito
Homens feridos
Lançam o seu grito
Todos gritamos:
“QUEREMOS A PAZ”
Será que queremos?

angelis

7 comentários:

  1. Lindo texto.

    Paz...
    ... mas a que preço?

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
  2. Queremos a paz para nós, mas não nos importamos para isso de guerrearmos os outros!
    Somos mesmo uns bichinhos.

    ResponderEliminar
  3. Make Love Not War :):) e essa constipação? Olha que um Quente Frio na Sincelo é "remédio santo". Boa semana.

    ResponderEliminar
  4. bQuerer a paz é querer o impossível. Talvez por isso a paz frequente tanto a poesia. Gostei.

    ResponderEliminar
  5. Já lhe chamam Utopia!
    A este desejo de paz, respondemos com indiferença, guerreamos a cada dia, pela nossa pertença. Em casa, no trabalho, na rua a ler o jornal, fazemos da vida um baralho, de lutas no desejo banal, de que se tu desfrutas, eu quero mais e mereço, mesmo que essas lutas, sejam o desespero, do comum mortal.
    .../...

    para ti amiga
    Bjinhos

    ResponderEliminar

Blog Widget by LinkWithin