06 maio 2011

Estranho, mas bom!

É uma sensação estranha, revisitar a minha terra natal, passear pelas ruas que me viram crescer, olhar para os rostos da minha juventude, saber que muitos já partiram, outros fizeram suas vidas longe como eu, outros ficaram por cá, acomodados, naquela vidinha rotineira de cidade do interior que se deixou ultrapassar pela modernidade, que está parada no tempo, que estagnou.
Se a vida por cá é mais tranquila? Claro que sim. As pessoas vão a pé para o seu local de trabalho, vivem uma vida sem grande ou nenhum stress, mas, ao fazer a minha caminhada habitual, ao final do dia, na companhia do meu Pai, reparo nos edifícios degradados, nas lojas fechadas e na ausência de pessoas nas ruas.
Na casa que me viu crescer, aí, as coisas são diferentes, parece que, de repente, parei no tempo, parece que de repente tenho outra vez 15 anos, o meu quarto está tal e qual como o deixei há mais de 20 anos, a casa, os cheiros, as rotinas, o ambiente é igual e isso é bom, muito bom e para quem atravessa um momento menos agradável e muito complicado, sabe bem encontrar esta paz e tranquilidade na casa materna que nos viu crescer.
Tenho vivido e sentido um misto de sensações, de emoções, de sentimentos, estranhos, mas bons!
É bom, muito bom, mesmo sendo por motivos de saúde, regressar às origens e sentirmo-nos novamente crianças, mas acima de tudo, não posso deixar de elogiar os meus Pais que têm sido fantásticos comigo, a minha irmã e o meu cunhado, em suma, a minha Família, que está ao meu lado, incondicionalmente, a apoiar-me e a ajudar-me.
E, afinal é bom estar por aqui!





2 comentários:

  1. Regressar ao berço é sempre bom. Recuperamos a força interior que nos impele para o combate que é a vida. Força!

    Bem-hajas!

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. 15 aninhos? Querias! :)))))

    Aproveita, aproveita muito bem.

    Tudo de bom.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Blog Widget by LinkWithin