10 junho 2004

Reflexões do guerreiro da luz

Paulo Coelho

Os defeitos e as qualidades

Um guerreiro da luz conhece seus defeitos. Mas conhece também suas qualidades.
Alguns de seus companheiros queixam-se o tempo todo: "os outros tem mais oportunidade que nós".
Talvez tenham razão; mas um guerreiro não se deixa paralisar por isto, e procura valorizar ao máximo as suas virtudes.
Sabe que o poder da gazela é a habilidade de suas pernas. O poder da gaivota é sua pontaria para atingir o peixe. Aprendeu que um tigre não tem medo da hiena, porque é consciente de sua força.
Um guerreiro procura saber com que pode contar. Sempre verifica seu equipamento, composto de três coisas: fé, esperança, e amor.
Se as três estão presentes, ele não hesita em seguir adiante.

Acreditar sem medo

O guerreiro da luz acredita. Assim como as crianças acreditam.
Porque crê em milagres, os milagres começam a acontecer. Porque tem certeza que seu pensamento pode mudar sua vida, sua vida começa a mudar. Porque está certo que irá encontrar o amor, este amor aparece.
De vez em quando, se decepciona. As vezes, se machuca.
E então escuta os comentários: "como é ingênuo!"
Mas o guerreiro sabe que vale o preço. Para cada derrota, tem duas conquistas a seu favor.
Todos os que acreditam sabem disso.

Nas horas difíceis e nas horas alegres

Um guerreiro não compartilha sua tenda com quem lhe quer fazer mal. E tampouco é visto em companhia daqueles que só desejam "consolar".
Evita quem só está ao seu lado em caso de derrota. Estes falsos amigos querem provar que a fraqueza compensa.
Sempre trazem más notícias. Sempre tentam destruir a confiança do guerreiro - sob o manto da "solidariedade".
Quando o vêem ferido, desmancham-se em lágrimas, mas - no fundo do coração - estão contentes porque o guerreiro perdeu uma batalha, sem entender que isto é parte do combate.
Os verdadeiros companheiros de um guerreiro estão ao seu lado em todos os momentos, nas horas difíceis e nas horas fáceis.

O inimigo oculto

Os amigos do guerreiro da luz perguntam de onde vem sua energia. Ele diz: "do inimigo oculto".
Os amigos perguntam quem é.
O guerreiro responde:"alguém que não podemos ferir".
Pode ser um menino que o derrotou numa briga na infância, a namorada que o deixou aos onze anos, o professor que o chamava de burro.
O inimigo oculto passa a ser um estímulo. Quando está cansado, o guerreiro lembra-se que ele ainda não viu sua coragem.
Não pensa em vingança, porque o inimigo oculto não faz mais parte de sua história. Pensa apenas em melhorar sua habilidade, para que seus feitos corram o mundo e cheguem aos ouvidos de quem o machucou no passado.
A dor de ontem transformou-se na força de hoje.

Do breviário de Cavalaria Medieval

Assim diz o Breviário da Cavalaria Medieval:
"A energia espiritual do Caminho utiliza a justiça e a paciência para preparar teu espírito.
"Este é o Caminho do Cavaleiro. Um caminho fácil e ao mesmo tempo difícil, porque obriga a deixar de lado as coisas inúteis, e as amizades relativas. Por isso, no começo, sente-se tanta hesitação em segui-lo.
" Eis o primeiro ensinamento da Cavalaria: tu irás apagar o que até então tinhas escrito no caderno de tua vida: inquietação, insegurança, mentira. E iras escrever, no lugar disto tudo, a palavra coragem. Começando a jornada com esta palavra, e seguindo com a fé em Deus, chegarás onde precisas".

A arte de despertar

O guerreiro da luz está agora despertando de seu sono.
Ele pensa: " não sei lidar com esta luz, que me faz crescer".
A luz, entretanto, não desaparece.
O guerreiro pensa: " serão necessárias mudanças que eu não tenho vontade de fazer".
A luz continua lá - porque a vontade é uma palavra cheia de truques.
Então os olhos e o coração do guerreiro começam a se acostumar com a luz.
Ela já não assusta; passa a aceitar sua Lenda, mesmo que isto signifique correr riscos.
O guerreiro esteve dormindo por muito tempo. É natural que vá despertando aos poucos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...